ESPETÁCULOS | PERFORMANCE | VIDEOINSTALAÇÕES

Os ingressos devem ser retirados no local de cada apresentação, 1h30 antes do início do espetáculo. No Sesc Rio Preto, os ingressos para o espetáculo de abertura serão distribuídos com 30 minutos de antecedência. Não há necessidade de retirada de ingressos para os trabalhos apresentados nos locais: Alternativo | Arena, Terminal Rodoviário Laudo Natel, Instituto As Valquírias, Ocupação Vila Itália, e praças.

Todas as apresentações têm acesso gratuito.

Ao final desta página, confira os endereços dos locais das apresentações.

É expressamente proibido fotografar ou filmar os espetáculos apresentados em espaços fechados sem a prévia autorização da produção.

 


IMPRUDÊNCIAS POÉTICAS

Cia. dos Pés (S.J. do Rio Preto – SP)

Dia 6, quarta-feira – 17h – Praça Dom José Marcondes

Com a licença poética de Mia Couto, “Imprudências Poéticas” invade o horizonte da construção urbana e com uma dança poema pausa o conturbado espaço de concreto. O trabalho é uma interferência poética, em que a dança serve de palavras para questionar os tantos muros construídos em função dos medos também criados por nós.

Classificação indicativa: Livre

Duração: 50 minutos

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Elenco: Mariane Cerilo e Daniel Neves

Concepção original: Kesler Jamal Contiero

Roteiro e direção: Angélica Zignani

Trilha sonora: Marcelo de Castro

Iluminação: Fuad Jammal Neto

Foto: Bruno Camargo

 


A INVENÇÃO DO NORDESTE

Grupo Carmin (Natal/RN)

Dia 6, quarta-feira – 20h – Teatro Sesc Rio Preto

Um diretor é contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Depois de vários testes e entrevistas dois atores vão para a final e o diretor tem sete semanas para deixá-los prontos para o último teste. Durante as 7 semanas de preparação, os atores refletem sobre sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples. O espetáculo é uma obra de auto-ficção baseada no livro homônimo do Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr. Dirigida por Quitéria Kelly, com dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano.

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 60 minutos

Retirar ingressos no local a partir das 19h30


Ficha técnica:

Espetáculo inspirado na obra homônima do Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr.

Elenco: Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros

Direção e figurino: Quitéria Kelly

Assistência de direção, dramaturgia audiovisual e desenho de luz: Pedro Fiuza

Consultoria histórica e de roteiro: Durval Muniz de Albuquerque Jr.

Direção de arte e cenografia: Mathieu Duvignaud

Dramaturgia: Henrique Fontes e Pablo Capistrano

Preparação corporal: Ana Claudia Albano Viana

Preparação vocal: Gilmar Bedaque

Produção executiva: Mariana Hardi

Trilha original: Gabriel Souto / Toni Gregório

Design gráfico: Teo Viana

Xilogravura: Erick Lima

Costureira: Kátia Dantas

Cenotécnico: Irapuã Junior

Edição de vídeo: Juliano Barreto

Locução: Daniele Avila Small

Assistência técnica: Anderson Galdino

Foto: Rogério Alves

 


ABISMO

Jef Telles/Agrupamento Núcleo 2 (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 6, quarta-feira – 21h – Cursinho Alternativo | Arena 

“Abismo” é uma obra de cinema expandido que interage com o espectador por meio de um mecanismo interativo. Utilizando uma narrativa audiovisual, aliada a um fone de ouvido binaural, o público acompanha a história através de suas próprias escolhas.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 240 minutos (sessões individuais de 15 minutos)

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Uma obra de Jef Telles com produção de Daniela Honório

Foto: Jorge Etecheber

 


HÚMUS: CORPOS INVISÍVEIS

Cia. Quadro Negro (Ribeirão Preto – SP)

Dia 6, quarta-feira – 22h – Cursinho Alternativo | Palco 

Para alguns corpos, a invisibilidade não é uma escolha, e sim uma predestinação social – tornando-os, dessa forma, apenas terra negra. Por meio de uma linguagem fragmentada e violências cotidianas, falamos sobre ser preto em uma sociedade racista. São vozes silenciadas unidas por um manifesto cênico potente em dor e poética e que, desta vez, vão falar e serão ouvidas.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 50 minutos

Retirar ingressos no local a partir das 20h30


Ficha técnica:

Direção: Washington de Paula

Elenco: Camila Telles, Denis Cardoso, Fernando Almeida, Lorena Ramos, Precy Anne e Romã Andrade

Preparação vocal: Janaína Oliveira e Precy Anne

Preparação corporal: Thiago Leal

Sonoplastia: Giovanni Alves

Iluminação: Michel Mika Masson

Figurinos: Eduardo Fernandes

Foto: Sheila Brandão

 


FEIRA DE TEATRO LAMBE-LAMBE

Teatro de Caixeiros (Ribeirão Preto/SP)

Dia 7, quinta-feira – 11h às 13h – Terminal Rodoviário Laudo Natel 

A Feira de Teatro Lambe-lambe é um projeto coletivo de apresentação simultânea de diversas caixas lambe-lambe. Foi idealizada como um ponto de encontro dos integrantes do coletivo Teatro de Caixeiros, que realizam uma intervenção onde são apresentadas suas caixas e respectivas histórias em miniatura.

Classificação indicativa: Livre

Duração: 120 minutos (5 pequenos espetáculos com cerca de 3 minutos de duração cada, apresentados para uma pessoa por vez)

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Atores manipuladores: César Mazari, Daiane Baungartner, Flávio Racy, Kerem Apuk, Marcos Melo, Mariana Cazula, Michelle Maria e Ton Pereira

Assistência: Daniele Alana

Orientação: Flávio Racy e Michelle Maria

Direção geral: Flávio Racy

Concepção: Teatro de Caixeiros

Apoio: Cia. A DitaCuja

Foto: Carolina Camillo

 


EM TRÂNSITO

Cia. Território da Dança (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 7, quinta-feira – 20h30 – Cursinho Alternativo | Arena 

O espetáculo “Em Trânsito” desenha, através da expressão e consciência corporal, o cotidiano no espaço urbano tal qual a relação e percepção dos passantes desse ambiente, na busca da individualidade através do seu próprio eu.  

Classificação indicativa: Livre

Duração: 50 minutos

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Coreógrafa e diretora: Cassia Heleno

Bailarinos: Amanda Rocha, Bianca Alves, Cristina Martins, Ester Carvalho, Gabriela Bressan, Jéssica Paladino, Mari Bressan, Richard Dumont, Suria Amanda e Yndy Júnior

Luz e fotografia: Gael Camilo

Foto: Edu Fotografia

 


PARA NÃO MORRER

Espaço Cênico (Curitiba/PR)

Dia 7, quinta-feira – 21h30 – Cursinho Alternativo | Palco 

Com temáticas femininas e feministas atreladas a questões políticas, especialmente da América Latina, a obra traz para a cena histórias verídicas da luta de mulheres, de ontem e de hoje. A atriz/narradora se apresenta com uma limitação física, mas insiste em falar e dá voz a muitas outras e traz à memória grandes feitos de perseverança contra a opressão. Para não morrer é corpo presente. Contragolpe. Exercício de Resistência.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 60 minutos

Retirar ingressos no local, a partir das 20h


Ficha técnica:

Dramaturgia: Francisco Mallmann (a partir da obra de Eduardo Galeano)

Criação e Atuação: Nena Inoue

Parceria de criação: Babaya Morais

Iluminação: Beto Bruel

Figurinos e adereços: Carmen Jorge

Cenário: Ruy Almeida

Técnico operador e assistente de produção: Vinicius Sant

Vídeos: Alan Raffo e Igor Marotti

Arte gráfica: Martin Castro

Fotografia: Elenize Dezgeniski, Lidia Ueta, Marcelo Almeida

Direção de produção: Nena Inoue

Realização: Espaço Cênico

Foto: Lidia Ueta

 


EXPRESSO CARACOL

Cia. dos Pés (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 8, sexta-feira – 15h – Instituto As Valquírias 

Um teatro ambulante, que carrega a beleza da dança clássica e a magia do circo. O Expresso Caracol monta o palco e traz a poesia e o riso para um passeio. Artistas que carregam a vida e o espetáculo na mesma estrada. Um encontro divertido com obras clássicas.

Classificação indicativa: livre

Duração: 50 minutos

Não é necessário retirar ingressos

A apresentação contará com tradução em libras


Ficha técnica:

Concepção original e cenografia: Kesler Jamal Contiero

Dramaturgia e direção: Angélica Zignani

Elenco: Daniel Neves e Mariane Cerilo

Preparação de Elenco: Ana Luísa Cardoso

Trilha sonora original: Cia. dos Pés

Produção: Cia. dos Pés

Foto: Edgar Machado

 


ALICE&BALTAZAR OU INDEVASSÁVEL

Homero Ferreira (S.J. do Rio Preto/SP – Rio de Janeiro/RJ)

Dia 8, sexta-feira – 19h e 21h – Sede Cênica 

Alice teve sua vida revirada quando foi despejada do apartamento de Baltazar e ele não imagina o que ela planejou para chamar sua atenção. A janela, a avenida do samba, o carnaval e os 40m² do lugar desse encontro grotesco.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 55 minutos

Retirar ingressos no local 1h30 antes de cada sessão

Será disponibilizado serviço de audiodescrição na sessão das 19h


Ficha técnica:

Texto e direção: Homero Ferreira

Orientação: Carmem Gadelha

Co-orientação: Gabriela Lírio

Elenco: Jasmin Sánchez, Lucas Garbois, Rodrigo Andrade

Iluminação: Carolina Cruz

Cenografia: Jefferson de Santi

Figurino: Bruna Araújo, Julyanna Dias, Karol Pereira e Luana Amâncio

Produção: Karla Gabriela

Preparação corporal: Hugo Leiva

Orientação de preparação corporal: Lígia Tourinho

Foto: Clara Castañon

 


ROMEU E JULIETA

Cia. Talagadá (Itapira/SP)

Dia 8, sexta-feira – 20h30 – Cursinho Alternativo | Arena 

Em meio ao lixo, tralhas e tudo mais que é descartado pela sociedade, cinco moradores de rua tentam subverter essa situação por meio do universo lúdico, no qual, suas figuras grotescas interpretam a si mesmas, utilizando-se de objetos, instalações, assemblagens, música e performance para recontar, a seu modo, o clássico Romeu e Julieta de William Shakespeare, cujo fim trágico é de conhecimento de todos, porém, as metáforas dos fatos que antecedem seu desfecho podem ser uma grande surpresa.

Classificação indicativa: Livre

Duração: 60 minutos

Não é necessário retirar ingressos

A apresentação contará com tradução em libras


Ficha técnica:

Texto: Adaptação da obra de William Shakespeare

Direção: Valner Cintra

Trilha sonora original: Luís Giovelli

Elenco: Danilo Lopes, Leonardo Alves (músico), Luan Freitas (músico), João Bozzi e Valner Cintra

Cenografia e figurino: Valner Cintra

Confecção de cenografia e adereços: Cia. Talagadá

Produção: João Bozzi

Foto: Valner Cintra

 


A FÉ QUE ACOSTUMOU A FALHAR

Núcleo Arcênico de Criações (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 8, sexta-feira – 21h30 – Cursinho Alternativo | Palco 

O Núcleo Arcênico de Criações propõe, neste novo trabalho, investigar os caminhos que a palavra “fé” nos abre. Desde seu espectro renovador de alento e resiliência, até as trincheiras do extremismo e da violência contra as divergências e as minorias. Desta forma, falar de fé mostrou-se uma berlinda contemporânea. Afinal, entre a inércia pacífica e o combate ao extremismo violento, a medida é incerta.

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 55 minutos

Retirar ingressos no local a partir das 20h


Ficha técnica:

Ideia original e direção: Alexandre Manchini Jr.

Assessoria de direção: Jorge Vermelho

Assessoria de coreografia: Luiz Fernando Bongiovanni

Coreografia: Núcleo Arcênico de Criações (criação coletiva)

Dramaturgismo: Homero Ferreira e Alexandre Manchini jr.

Elenco: Alexandre Manchini Jr., Malu Oliveira e Vinícius Francês

Desenho de luz: Luis Fernando Lopes

Desenho de som: Roger Valença

Operação de som e Cenotecnia: Larissa Macena

Cenografia: Jorge Vermelho

Desenho de figurino: Clarissa Maria e Alexandre Manchini Jr.

Design gráfico: Juny kp!

Preparação corporal: Vinícius Francês

Produção executiva: Nathalia Paschoalli

Realização: Núcleo Arcênico de Criações e Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo

Foto: Bianca Brito

 


DE QUE LADO VOCÊ FICA

Juliana Carolina (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 8, sexta-feira – 22h30 – Cursinho Alternativo | Bar 

Nos fechamos em bolhas sociais, discriminamos e incitamos o ódio a quem pensa ou é diferente de nós, colocamos nossos pensamentos como verdades absolutas, julgamos saber o que é melhor e mais correto. E, em meio a tudo isso, até que ponto estamos realmente levando em consideração e pensando no bem do próximo? Qual efeito sua opinião pode causar quando você decide de que lado fica?

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 30 minutos

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Idealizadora, produtora, performer: Juliana Carolina

Assistente de produção: Sueli Hernandez

Assistente de produção e operação de luz: Ester Carvalho

Foto: Valdecir Gerotto

 


AUTO DA PAIXÃO E DA ALEGRIA

Cia. Espelunca de Teatro (São Carlos/SP)

Dia 9, sábado – 17h – Praça das Rosas 

Nesta comédia popular, cinco saltimbancos narram a história da passagem de Cristo na Terra. Acompanhado de música ao vivo, o espetáculo revela uma Jerusalém brasileira na qual o sagrado e o profano são celebrados juntos para investigar na fé e no riso um caminho para a reinvenção do mundo.

Classificação indicativa: livre

Duração: 60 minutos

Não é necessário retirar ingressos

Será disponibilizado serviço de audiodescrição


Ficha técnica:

Direção: Mateus Marcello

Orientação cênica: Flávia Bertinelli

Orientação musical: Everton Gennari

Produção: Rossana De Marchi

Elenco: Alex Suraty, Elaine Dantas, Guilherme Souza, Mateus Marcello e Vanessa C. Verdini

Dramaturgia musical: Alex Suraty

Iluminação: Raquel Baes

Figurino: Vanessa C. Verdini

Foto: Jhenyfer Reis

 


BARTLEBY

Cia Bardos de Teatro (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 9, sábado – 19h – Sede Cênica 

Herman Melville constrói o território absurdo e emblemático de um escrivão. “Bartleby” tem sua trajetória narrada por um advogado, que diante do posicionamento resistente do funcionário vê seu sistema de poder abalado. A célebre frase “Prefiro não”, referida pelo escrivão contra as imposições de seu superior, causou espanto no círculo literário de sua época e atravessa os tempos descortinando as relações humanas e provocando reflexões filosóficas e anti-imperialistas. O conflito estabelecido entre Bartleby e o advogado revela um ambiente de tensão e humor sofisticado, despertando no espectador um olhar dialético frente à ordem estabelecida e ao racionalismo exacerbado. Bartleby – O escrivão é o representante de uma nova ordem democrática que decompõe os velhos costumes, preferindo um novo estado de liberdade.

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 70 minutos

Retirar ingressos no local, a partir das 17h30


Ficha técnica:

Realização: Cia. Bardos de Teatro

Elenco: Eduardo Oliveira, Gustavo Guerreiro, Márcio Amantea e Zé Tomaz

Direção: Linaldo Telles

Cenografia: Linaldo Telles e Eduardo Oliveira

Figurinos: Ivani Cardoso e Linaldo Telles

Maquiagem: Clarissa Freitas

Iluminação: Tiago Mariusso

Produção executiva: Márcio Amantea

Autor: Herman Melville

Foto: Marcelo Melo

 


VEREDA DA SALVAÇÃO

Núcleo de Formação Cênica (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 9, sábado – 20h30 – Cursinho Alternativo | Arena 

“Vereda da Salvação” é uma incursão cênica na obra de Jorge Andrade. O texto, escrito em meados de 1960, inspirado em um fato verídico ocorrido em 1955 no município de Malacacheta, Minas Gerais, trata de uma comunidade de trabalhadores rurais que, em sua busca por condições de vida minimamente dignas, mergulha no misticismo exacerbado de uma nova crença religiosa que a levará ao caminho da libertação. O espetáculo é resultado de pesquisas do Núcleo de Formação Cênica sobre o realismo poético de Jorge Andrade e sobre os aspectos fundamentalmente coletivos e sociais desta obra.

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 60 minutos

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Texto: Jorge Andrade

Direção: Fabiano Amigucci e Fagner Rodrigues

Assistente de Direção: Simone Moerdaui

Direção Musical: Everton Gennari

Elenco: Ângelo Augusto, Christina Martins, Daiane Souza, Deivison Miranda, Esmeraldina Reis, Ester Carvalho, Giovana de Paula, Jaqueline Bisca, Jessica Paladino, Juliana Carolina, Marina Rico, Nathalia Navarro, Pietra Borges, Sofia Mitsuyuki, Suria Amanda e Vladmir Coelho

Introdução ao universo de Jorge Andrade: Eduardo Catanozi

Figurinos: Adbailson Cuba

Cenário: Léo Bauab

Iluminação: Fabiano Amigucci e Fagner Rodrigues

Técnica: Gael Camillo

Composições inéditas: Fagner Rodrigues e Pietra Borges

Produção: Núcleo de Formação Cênica

Orientação Cia. Cênica: Beta Cunha, Cássia Heleno, Elaine Matsumori, Fabiano Amigucci, Fagner Rodrigues, Glauco Garcia e Simone Moerdaui

Orientação Programa de Qualificação em Artes: Luísa Pinti, Everton Gennari e Valéria Lauand

Foto: Carlo Nogaroto

 


AS PATACOADAS DE CORNÉLIO PIRES

Grupo Andaime Teatro (Piracicaba/SP)

Dia 9, sábado – 21h30 – Cursinho Alternativo | Palco 

O Grupo Andaime volta o olhar para a magnífica obra de Cornélio Pires, genuinamente paulista, enraizada na figura mais representativa e autêntica de nossa cultura popular – o caipira. O processo de criação do grupo evoluiu naturalmente para a ampliação da visão do teatro folclórico, direcionando-o para a identificação de elementos arquetípicos e, como tal, presentes e vibrantes em todos nós, independentemente de regionalismos e peculiaridades.

Classificação indicativa: 10 anos

Duração: 75 minutos

Retirar ingressos no local, a partir das 20h


Ficha técnica:

Elenco: Antonio Chapéu, Márcio Abegão, Bruno Agulhari, Maria Trevisan, Barbosa Neto e Tiago de Luca.

Músicos: Domingos de Salvi e Jonathas Beck

Dramaturgia: texto original de Luiz Carlos Laranjeiras, escrito a partir dos causos e poemas de Cornélio Pires recolhidos pelo elenco do Andaime

Direção musical, trilha sonora e composições: Luiz Carlos Laranjeiras

Músicas, temas e sonoplastia: executada ao vivo por Antônio Chapéu, Jonathas Beck e Domingos de Salvi com a participação do elenco na percussão e cantoria

Adereços e silhuetas: Valtencir Franzol

Animação das sombras e silhuetas: Maria Trevisan

Cenário: Valtencir Franzol e Andaime

Figurino: Pat Maria e Andaime

Maquiagem: Andaime

Caricatura do cartaz: Camilo Riani

Caricatura do programa: Paffaro

Arte final: Fernando Bisan

Cenotécnica: Marcenaria da Unimep

Iluminação: Luiz Carlos Laranjeiras, Luiza Vaz e Adriano Pereira

Operadora de luz: Luiza Vaz

Equipe de apoio: Joseane Bigaran e Cristiany Almeida

Direção: Luiz Carlos Laranjeiras

Produtor: Antonio Chapéu e Márcio Abegão

Realização: Andaime Teatro e Associação Cultural Arte

Fotos: Fábio Mendes

 


CARNAVAL PSICOLÓGICO

Jef Telles/Agrupamento Núcleo 2 (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 9, sábado – 22h30 – Cursinho Alternativo | Bar 

O artista multimídia propõe um passeio imagético e sonoro a partir de outros trabalhos já realizados, explorando a mistura de cores e ódios, sorrisos e texturas impressas no povo brasileiro.

Classificação indicativa: Livre

Duração: 240 minutos (40 minutos em loop)

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Projeção e imagens de Jef Telles

Foto: Jorge Etecheber

 


MIGUILIM MUTUM

Companhia Azul Celeste (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 10, domingo – 17h – Ocupação Vila Itália 

“Miguilim Mutum”, espetáculo para todos os públicos, inspirado no universo de Guimarães Rosa revela, aos poucos, a trajetória de um menino rumo ao aprendizado.

Entre morro e morro, Mutum.

Ali, neste lugar quase esquecido, mora Miguilim.

Na tentativa de resgatar sua cachorra Pingo de Ouro, ele se lança na estrada e, protegido por São Miguel Arcanjo, vai descobrindo as delícias e as desventuras do crescer e do aprender.

Nessa travessia, o menino Miguel, apelidado Miguilim, transforma-se interiormente, descobre sua miopia e se abre ao novo.

Classificação indicativa: Livre

Duração: 65 minutos

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Dramaturgia: Cintia Alves e Eduardo Bartolomeu

Direção: Jorge Vermelho e Linaldo Telles

Elenco: Henrique Nerys  e Luis Andrade

Assessoria de Pesquisa: Alaor Ignácio e Daniela Portella

Direção musical e trilha original: Raphael Pagliuso Neto

Direção de movimento: Vivien Buckup

Cenografia: Jorge Vermelho

Caracterização e pintura de arte cenográfica: FCR Produções Artísticas

Supervisão de pintura de arte: Luis Rossi

Assistência de pintura de arte: Lucas Hernandes

Figurinos, adereços e visagismo: Linaldo Telles

Costureira: Any Cardoso

Elétrica em adereços: Anderson de Matos

Marcenaria: Antonio Perez

Sonoplastia: Jorge Vermelho, Linaldo Telles e Raphael Pagliuso Neto

Gravação, edição e remasterização: André Clínio Produções

Voz em off (mãe): Fabiana Pezzotti

Operação de som e cenotécnica: Tiago Mariusso

Iluminação: Alexandre Manchini Jr. e Jorge Vermelho

Operação de luz e coordenação técnica: Alexandre Manchini Jr.

Criação de videocenografia: Bruno Medeiros

Operação de vídeo: Lucas Hernandes

Criação gráfica: Marcus Fabrizio

Produção: Henrique Nerys e Lucas Hernandes

Coordenação de produção: Jorge Vermelho

Foto: Jorge Etecheber

 


ÁGUAS DE ENCONTRAR

Silvia Suzy (São Paulo/SP)

Dia 10, domingo – 19h – Sede Cênica 

Ao adentrar um ambiente deslocado no tempo e no espaço, a plateia é convidada através da arte de narrar histórias à uma reflexão sobre o erotismo, sondando os limites da liberdade, e passando pelas opressões que vivemos. Com delicado humor e sutil proximidade, exploramos os desdobramentos do sentir através de elementos como a chuva, a areia o incenso e o fogo.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 55 minutos

Retirar ingressos no local, a partir das 17h30


Ficha técnica:

Criação e interpretação: Silvia Suzy

Adaptação e construção dramatúrgica: Silvia Suzy

Orientação: Antonio Januzelli Janô

Direção de atuação: Alexandre Krug

Cenografia: Biratan Nogueira

Assistente de cenografia e palco: Gustavo Furlan

Figurino: Daniel Infantini

Design de luz: Yuri Cumer

Operador de luz: Gustavo Furlan

Pesquisa sonora e músicas compostas: Silvia Suzy

Preparadora de voz para canto: Andreia Kaiser

Preparação corporal: Letícia Bortoletto

Identidade visual: Fábio Viana

Visagismo: Silvia Suzy

Foto: Hemerson Celtic

 


CURRA – TEMPEROS SOBRE MEDÉIA

Contadores de Mentira (Suzano/SP)

Dia 10, domingo – 20h30 – Cursinho Alternativo | Palco 

“Curra – Temperos Sobre Medéia” é uma celebração afro sobre o mito clássico. Um terreiro, uma arena, um banquete… Bebida, comida, pés descalços para celebrar o efêmero. Este espetáculo faz parte de um caminho antropológico iniciado em 1995 pelo grupo Contadores de Mentira. É baseado nas tradições do corpo encontrado nos ritos profanos, nos brincantes populares e, nas tradições do candomblé e mitos Orixás da Cultura Afro Brasileira.

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 80 minutos

Retirar ingressos no local, a partir das 19h


Ficha técnica:

Direção e dramaturgia: Cleiton Pereira

Criação musical e música ao vivo: Michael Meyson

Atuadores: Cleiton Pereira, Daniele Santana, Narany Mireya, Kaique Costa, Pamel Carmo e Samuel Vital

Cozinheira e “Equede”: Soraia Amorim

Iluminação: Matheus Borges

Produção: Cleiton Pereira, Daniele Santana e Matheus Borges

Foto: Ítalo Iago

 


URBANIDADES

Corpo/Lentes (S.J. do Rio Preto/SP)

Dia 10, domingo – 22h – Cursinho Alternativo | Bar 

Que cidade mora na cidade? O que o trem pensa de nós? O que a trajetória do trem, os espaços arquitetônicos e as movimentações que hão nos corpos da cidade, sejam eles de pessoas, de animais ou de máquinas falam sobre a cidade? Estas e outras questões serão abordadas de forma lúdica e sensível, lançando mão da composição entre as lentes fotográficas e o corpo da dançarina, que interagem na cidade.

Classificação indicativa: livre

Duração: 240 minutos (25 minutos em loop)

Não é necessário retirar ingressos


Ficha técnica:

Bailarina: Andrea Capelli

Fotografia e vídeos: Jorge Etecheber, Guilherme Di Curzio e Fabio  Mouawad Luppi

Seleção e criação de textos: Carolina Capelli

Trilha sonora original: Juliano Parreira e Gustavo Koshikumo

Design gráfico: Renan Saccoman

Foto: Fabio Mouawad Luppi

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.